sobre

Indisciplinar é um grupo de pesquisa vinculado ao CNPQ, sediado na Escola de Arquitetura da UFMG, que tem suas ações focadas na produção contemporânea do espaço. Considerada a importância da produção biopolítica nas metrópoles e nos processos de globalização e os processos constitutivos do espaço social, toma-se o urbano em sua capacidade de engendrar singularidades e diferença.

Tendo a dimensão do comum como ideia norteadora das ações do grupo, bem como elemento articulador de sua composição e atuações múltiplas, as atividades do Indisciplinar compreendem, imbricando-as indissociadamente teoria e prática, atuando junto a diversos atores que constituem a produção do espaço nas metrópoles como: Movimentos Sociais, Ambientais e Culturais; Grupos de Pesquisa e Extensão; Ministério Público; Defensoria Pública; Poderes Legislativo e Executivo, dentre outros. As frentes de ação do grupo se envolvem tanto em processos destituintes contra o urbanismo neoliberal em suas muitas dimensões expropriadoras do comum, quanto em processos constituintes de novos espaços engendrados pela coletividade, autonomia cidadã e defesa do comum urbano (material e imaterial), em uma abordagem transversal e indisciplinar. Diversas pesquisas estão associadas ao grupo, sejam elas de monografia, mestrado e doutorado, sejam elas aprovadas pelo PRPq – UFMG ou pelas Agências de fomento à pesquisa (Capes e CNPq) e Ministérios (Minc).

O grupo é formado por mais de 40 professores, pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação, ativistas de movimentos sociais, culturais e ambientais, oriundos de diversos campos do conhecimento. O Indisciplinar também faz parte da rede internacional “Tecnopolíticas: territórios urbanos e redes digitais” junto a diversos atores, coletivos e grupos de investigação nacionais e internacionais e da “Rede Cidades”  da UFMG.

Associado ao Grupo de Pesquisa Indisciplinar há também um Programa de Extensão denominado IndLab _ Laboratório Nômade do Comum que possui atualmente 3 projetos: Artesanias do Comum, Cartografias Emergentes e Compartilhamento e Distribuição do Comum.

Os modos de fazer envolvendo tecnopolíticas e tecnologia social são fundamentais para legitimar as ações que fazem fronteira com o ativismo em defesa dos bens comuns, são eles: desenvolvimento de pesquisas teóricas e conceituais; participação em reuniões e atos junto aos movimentos sociais, culturais e ambientai; participação em atividades políticas como audiências públicas e reuniões de conselhos municipais e estaduais; organização tecnopolítica dos movimentos parceiros realizando  colaborativamente e em rede fanpages, blogs, cartilhas, memes, flyers, documentários, infográficos, revistas, livros jornais; produção e participação em eventos artísticos, políticos e culturais como o VAC, Cidade Eletronika, dentre outros; representações em Ministério Público; representação em Conselho Municipal; produção de cartografias e mapas colaborativos; formação de rede entre grupos de pesquisa e também entre movimentos sociais; aulões públicos; seminários, workshops e outros eventos acadêmicos abertos; pesquisas de graduação, pós-graduação (mestrado, doutora e pós-doutorado); artigos científicos em revistas indexadas e também uma revista Indexada denominada Indisciplinar.

organograma


Para maiores informações acessar:

Blog: http://blog.indisciplinar.com/;

Fanpage:https://www.facebook.com/pages/Indisciplinar/425668724191296?fref=ts

Vídeos: https://www.youtube.com/channel/UC9amRlylRYfPccrvY5nPWHQ

Streamings: http://bambuser.com/channel/INDLAB

Wiki:  http://wiki.indisciplinar.com/index.php?title=Página_principal

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com